Conselhos para economia nas compras

O supermercado oferece para a dona de casa inúmeras vantagens. A principal talvez seja o fato de não ter vendedores que constrangem, vigiam e obrigam a comprar rapidamente. A ausência do vendedor faz com que se possa escolher uma lata de palmito e pouco depois trocá-la por outra de marca diferente, sem necessidade de justificar a troca para ninguém.

Entretanto, ele exerce um grande fascínio, o que é perigoso, pois pode fazer com que se compre mais do que o necessário. Para evitar isso, é preciso conhecer algumas técnicas usadas pelos especialistas em vendas para obrigar as pessoas a comprar. Depois, é só precaver-se, já que comprar bem é uma forma de fazer economia.

CUIDADOS A TOMAR

A embalagem dos produtos é a primeira arma para convencer a comprar: entre dois produtos desconhecidos, escolhe-se o que atrai mais visualmente, seja pela cor ou forma em que ele é apresentado.

onde geralmente se localiza o frigorífico. Até chegar lá, é provável que ela não resista e pegue vários produtos que não pensava comprar. Po-de-se observar, também, que o arroz, o feijão, o óleo estão sempre nas prateleiras mais baixas, ficando os lugares de maior destaque para os produtos que não são de primeira necessidade (como sucos, molhos, conservas caras).

Outra técnica ensina que as prateleiras nunca devem estar vazias, pois ninguém leva a última lata de ervilhas pensando que ela está acabando porque é melhor. Todos comprarão a marca do lado, que chama mais a atenção pela quantidade.

É preciso saber também que tudo é planejado para tornar o lugar mais agradável, transformando o ato de comprar num prazer — e o supermercado no templo do consumo. Assim, as prateleiras cheias, bem arrumadas, coloridas e variadas, a suave música que toca baixinho induzem à compra. O próprio carrinho onde se colocam as compras, o fato de dirigi-lo, comandá-lo para onde se quer é um grande prazer, que satisfaz também à vaidade. E passear pelo supermercado com o carrinho abarrotado de compras é outro fator que envaidece.

A técnica do consumo dirigido não esquece as crianças: as prateleiras de brinquedos, doces e balas estão mais baixas, exatamente na altura dos olhos de uma criança e o adulto compra quase tudo o que ela quer para não ser atrapalhado.

PLANEJAMENTO CUIDADOSO

Depois de saber essas técnicas, a dona de casa estará mais capaz de resistir às compras supérfluas. Mas é preciso planejá-las, começando por um levantamento dos produtos para verificar qual o gasto semanal ou mensal de cada um.

Uma boa medida é anotar nas tampas das embalagens ou no fundo das latas a data em que foram compradas; quando o produto terminar, pode-se verificar quanto tempo durou e quanto sobrou, embora sua duração varie de acordo com o maior número de refeições ou com gastos inesperados.

Depois de fazer o levantamento, é conveniente ver o que é realmente necessário ou se determinado produto está sendo comprado apenas por hábito e sendo usado raramente.

É preciso também não se convencer apenas pelo que diz a propaganda de um novo produto: ele só deve ser adquirido quando supera as qualidades do que é usado habitualmente e não porque contém a substância X, que ninguém sabe o que é.

Fazer as compras apenas uma vez por mês tem uma desvantagem quando se tem empregadas: elas costumam desperdiçar, e um produto, comprado em quantidade suficiente para durar um mês, acaba bem antes.

O planejamento inclui um cuidado especial para que se equilibre o valor nutritivo de cada alimento e se tente variar, de modo a não cansar o paladar. Uma forma que ajuda a planejar bem os gastos de supermercado é preparar uma lista de cardápios para cada dia da semana, de forma a aproveitar as sobras.

Quanto às frutas e legumes, é preciso comprar aqueles que são da estação: embora se encontre os mesmos produtos o ano inteiro, sabendo-se a época da safra é certo que eles estarão mais baratos. Além disso, é importante saber o dia de renovação de estoque das frutas e legumes, procurando fazer as compras nesse dia.

Saber aproveitar as sobras dos mantimentos é outra forma de economizar. E as embalagens maiores — como pacotes de 5 quilos de açúcar, por exemplo — são mais baratas que pacotes pequenos. Mas isso não se aplica aos produtos perecíveis (como manteiga e queijo), que só podem ser comprados em pequena quantidade. Os farináceos (farinha de trigo, fubá, semolina, etc.) costumam mofar, se guardados por muito tempo.

Dentro da geladeira, deve-se distribuir os alimentos de acordo com a temperatura exigida por eles: as verduras devem ficar embrulhadas em plástico e guardadas na gaveta inferior para que o frio não queime suas folhas. Frutas e legumes se conservam melhor quando são limpos antes de colocados na geladeira, pois detritos e terra costumam estragá-los mais rapidamente.

As carnes de aves ou peixes devem ser limpas e livres de gordura, peles, penas e vísceras, o que evita que se estraguem.

CONSELHOS ÚTEIS

Antes de entrar no supermercado, é bom lembrar que:

1) Deve-se verificar outros supermercados, onde a mercadoria pode ter menor preço e melhor qualidade.

2) Limitar-se a comprar o que está planejado na lista e não pegar algo que seja supérfluo ou que não esteja planejado.

3) Evitar as horas em que o supermercado está mais cheio e movimentado, como no sábado pela manhã, porque o tempo que se perde é muito maior e a vontade de terminar logo as compras não deixa escolher os mantimentos com cuidado.

4) Um detalhe importante: quando se faz compras antes do almoço ou do jantar, a fome faz com que se escolham gulodices desnecessárias.

5) As ofertas de produtos do tipo “compre um e leve dois” podem não ser tão vantajosas quanto parecem. Mas, se a compra for compensa-dora, vale a pena comprar a mais, desde que o produto seja de uso frequente e não deteriorável.

6) Ao experimentar um novo produto, é bom preferir o de tamanho ou embalagem menor, porque, se ele não aprovar, o prejuízo será menor.

7) Sempre que possível, comprar alimentos de pouco uso na quantidade suficiente para uma receita, o que eliminará as sobras.

8) Os produtos deterioráveis costumam ter a data de fabricação marcada no rótulo: é importante verificá-la, para ver se eles não estão com o prazo esgotado.

9) Não comprar latas defeituosas ou estufadas, o que indica que o produto está estragado.

10) Em mercadorias vendidas por quilo é importante observar bem os ponteiros das balanças e verificar se o peso está correto.

11) É muito comum que a moça da caixa marque duas vezes a mesma mercadoria. Para que isso não aconteça, é necessário prestar atenção ao colocar as compras ao lado da caixa, mostrando cada item separadamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *