Meditação Do Dia – Autoridades

Leitura: Romanos 13.1-7

“Portanto, é necessário que sejamos submissos às autoridades…” (Rm 13.5).

O Brasil teve diversos sistemas de governo, desde a Proclamação da República em 1889. O marechal Deo-doro da Fonseca assumiu o Governo como Chefe do Governo Provisório. Até hoje, o exercício do poder tem sido discutido, por boa parte da população.

Quem não podia discutir muito sobre isso eram os cidadãos de Roma e, de forma especial, os cristãos. “César” foi o nome de uma dinastia de líderes romanos, sendo Júlio César o mais famoso deles (102-44 a. C.) Nos dias de Paulo, provavelmente, o César era Nero. A História traça um perfil muito ruim de Nero — insensatez, violência e maldade.

Ainda assim, as palavras de Paulo sobre o tema “autoridade” faz-nos pensar. “Todos devem sujeitar-se as autoridades governamentais, pois não há autoridade que não venha de Deus…” (13.1). Deve ter sido difícil para Paulo admitir que aquele “César” estava a serviço de Deus.

Os governos têm lugar nos propósitos de Deus (13.4). Porém, Paulo não disse que somos obrigados a concordar ou não com eles, mas sim, submetermo-nos à autoridade que possuem (1 Pe 2.13). Diz que devemos fazer “façam súplicas, orações, intercessões e ações de graça por todos os homens, pelos reis e por todos que exercem autoridade…” (lTm 2.1,2).

O que Deus espera dos governos? Justiça (Pv 14.34); não exploração dos pobres (Pv 22.22); afastar a corrupção (Pv 28.6); sensatez (Pv 31.1-9). A convicção religiosa dos governantes nunca foi problema para Deus. Ele mudou o coração pagão de Faraó e o do rei Davi. Ele os inclina para onde desejar (Pv 21.1) Exerça com liberdade e responsabilidade sua cidadania. Sua consciência é seu melhor conselheiro.

“Foi-me dada toda a autoridade nos céus e na terra” — Jesus (Mt 28.18).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *